Banda larga segue em alta na crise, mas TV paga e internet móvel caem

Banda larga segue em alta na crise, mas TV paga e internet móvel caem

Circe Bonatelli

21 de maio de 2020 | 04h15

A procura por serviços de banda larga continua crescendo no Brasil. Com o isolamento, a busca por internet fixa cresceu 17% de março para abril. Antes disso, a demanda já havia subido 30% de fevereiro para março, de acordo com levantamento do Portal de Planos, site que compara serviços de telecomunicações de todas as operadoras nacionais.

Sozinho em casa. O isolamento físico impulsionou a busca por serviço de internet melhores nas casas. Vale tanto para o trabalho em home office, quanto para estudar, assistir a filmes e séries e falar com os amigos e familiares. O comportamento sustentou o aumento na demanda tanto por contratação quanto por maior velocidade de banda larga, segundo o especialista em marketing digital do Portal de Planos, Yuri Kaminski.

Minguou. Por outro lado, o levantamento apontou recuo de 8,2% na busca por TV por assinatura e queda de 10,3% na demanda por internet móvel, entre março e abril. No primeiro caso, a baixa é uma continuidade no esvaziamento desse mercado, visto há meses no setor, com migração do consumidor para serviços de streaming ou corte de custos. Já a demanda em queda por internet móvel pode ser explicada pela menor circulação de pessoas na crise e pelo maior uso de wifi.

contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: