Bares e restaurantes podem cortar 4 milhões de empregos na América Latina

Bares e restaurantes podem cortar 4 milhões de empregos na América Latina

Circe Bonatelli

16 de abril de 2020 | 05h00

A crise provocada pela pandemia do coronavírus pode provocar o corte de 3,8 milhões a 4,2 milhões de empregos no setor de restaurantes, bares e cafés da América Latina, segundo estudo realizado pelo Boston Consulting Group (BCG) em quatro países: Brasil, México, Colômbia e Peru. A projeção vem da perspectiva de que entre 75% e 80% de estabelecimentos correm o risco de fechar as portas após sofrerem declínio potencial de 60% a 80% nas vendas durante mais de um mês.

Comércio em baixa. Outras lojas de pequeno e médio porte no setor de alimentação também serão afetadas, como é o caso de mercearias, padarias e lojas de conveniência. Em um primeiro momento, elas devem registrar um aumento na demanda por produtos básicos. Mas a crise afetará a renda das famílias nos meses seguintes, reduzindo o poder de consumo. Com isso, o BCG estima que cerca de 20% a 25% destes estabelecimentos terão queda grave no faturamento, com risco de falência, colocando outros 800 mil empregos em xeque nos quatro países.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.