BB e Ermírio de Moraes vão vender, cada um, R$ 2 bi em ações do BV

BB e Ermírio de Moraes vão vender, cada um, R$ 2 bi em ações do BV

Aline Bronzati

29 de janeiro de 2020 | 05h01

Divulgação

Os sócios do banco Votorantim, o BV, já bateram o martelo sobre a quantidade de ações da instituição que irão vender na abertura de capital. Estimada em R$ 5 bilhões, a oferta inicial deve ocorrer em abril. Banco do Brasil e a família Ermírio de Moraes devem ofertar ao mercado R$ 2 bilhões cada. Assim, a oferta secundária, aquela que vai para o bolso dos acionistas, totalizaria R$ 4 bilhões. O R$ 1 bilhão restante será a parte primária, isto é, que injetará recursos no caixa do banco para financiar a expansão de suas atividades, com foco no digital. A ideia é que cada um venda cerca de 10% de sua participação ao mercado e mais 5% para completar o free float mínimo (porcentual de ações em circulação) de 25%, avaliando o BV em R$ 20 bilhões. Assim, os sócios vão manter a mesma proporção na sociedade, a despeito da oferta inicial de ações. Atualmente, a família Ermírio de Moraes detém 50,01% do capital do banco com direito a voto, enquanto o BB tem os demais 49,99%.

Saiba mais: Oferta de ações na Bolsa brasileira pode atingir até R$ 200 bilhões em 2020

Amadureceu. A discussão em torno da fatia a ser vendida se arrastou ao longo do último ano. Com a melhora dos resultados do Votorantim, os sócios foram convencidos a permanecer por mais tempo no banco. A ideia, ao menos até aqui, é listar as ações na Bolsa e, em um futuro breve, se desfazer dos papéis via mercado, em uma venda mais transparente e conforme as melhores regras de governança corporativa.

Acompanhe: BV compra Just, fintech de crédito do GuiaBolso

Cronograma. A oferta inicial do Votorantim deve começar após a divulgação de resultados do quarto trimestre de 2019, esperada para o início de fevereiro. A operação está sendo estruturada pelo próprio BB, JPMorgan (que fez o trabalho de preparação do banco para a oferta) e ainda o Goldman Sachs. Também integram o grupo Morgan Stanley e Itaú BBA. Procurados, o BB e a família Ermírio de Moraes não comentaram. O BV também não se manifestou.

Leia: Fintech Olivia lança app no Brasil e recebe aporte de R$ 25 mi liderado pelo BV

Notícia publicada no Broadcast no dia 28/01/2020, às 16:28:03

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

 

Tudo o que sabemos sobre:

BVBanco VotorantimBBErmírio de Moraes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: