Benjamin Steinbruch vence primeira batalha, mas primos devem recorrer

Benjamin Steinbruch vence primeira batalha, mas primos devem recorrer

Economia & Negócios

06 Junho 2018 | 04h00

A primeira batalha da briga entre os primos dos dois clãs que controlam a CSN terminou com vitória para Benjamin Steinbruch e seus irmãos, representantes da Rio Purus. Depois de terem pedido para que seus direitos políticos sejam restabelecidos nas holdings que controlam as empresas da família, os primos Clarice e Léo Steinbruch receberam a primeira negativa e devem recorrer da decisão por meio da CFL Participações, que é assessorada pelo escritório Tepedino, Migliore, Berezowski e Poppa Advogados. O agravo deve ser feito ainda na primeira quinze de junho, dentro do prazo, que termina dia 22 após postergações por conta da greve dos caminhoneiros. O processo corre na 2.ª Vara Empresarial de Conflitos Relacionados à Arbitragem da Comarca de São Paulo.

Vale lembrar
A perda do poder dos primos Steinbruch aconteceu durante assembleias polêmicas realizadas no início do ano. Na ocasião, o grupo de Benjamin destituiu os representantes da CFL de seus cargos nos conselhos, violando o acordo de acionistas de 1994 criado por seu pai. A alegação do presidente da CSN era de que o acordo não era mais válido, desde a saída da família Rabinovich, em 2005, sócia dos Steinbruch em todos os negócios do grupo, mesmo tendo vigorado desde então.

Segue o jogo
O processo para reaver os direitos políticos é, contudo, secundário ao principal que reivindica a venda de todo o patrimônio dos dois ramos da família, que além da siderúrgica, inclui empresas nos ramos têxtil, financeiro, imobiliário e do agronegócio, que segue caminhando. Após três anos de tentativa em vão de negociar uma saída amigável da sociedade, os primos de Benjamin – Leo e Clarice, por meio da CFL Participações – entraram com uma ação em 21 de março, na 2.ª Vara Empresarial de São Paulo. Procurados, o escritório Tepedino, que representa a CFL e a CSN não comentaram. A Rio Purus conta com apoio de Paulo Lazzareschi, do Lazzareschi, Hilal, Bolina & Rocha Advogados. Já o Mattos Filho, que também representa a Rio Purus, atua em assuntos societários correlatados.

Siga a @colunadobroad no Twitter