Blockchain pode incrementar comércio global em mais de US$ 1 trilhão

Blockchain pode incrementar comércio global em mais de US$ 1 trilhão

Coluna do Broadcast

01 de janeiro de 2019 | 12h48

O blockchain poderá aumentar o comércio global em US$ 1,1 trilhão até 2026, a partir da base atual de US$ 16 trilhões movimentados anualmente, de acordo com estudo da consultoria Bain & Company em parceria com o HSBC. Soluções baseadas nessa mesma tecnologia também podem aumentar em US$ 2 bilhões anuais o financiamento de documentary trades, como são chamados os créditos documentários usados em exportações. Hoje, a receita anual desse instrumento, sem o blockchain, é de US$ 7,7 bilhões.

Cadeia de blocos
Ainda hoje, o papel serve de ponte entre muitas das compras e vendas internacionais. Segundo a Bain, as tentativas de digitalizar o processo de financiamento comercial naufragaram porque as soluções não se comunicam entre si. Porém, o blockchain, que registra vários tipos de transações em diferentes computadores espalhados pelo mundo, deve oferecer essa possibilidade porque promete oferecer a importadores e exportadores um processo digital com menos risco e custos.

Rastreamento
A pesquisa também descobriu a necessidade de certas instituições desempenharem um papel de “superconectores” – grandes bancos, agências governamentais ou outras partes confiáveis – que servirão como ponte entre as redes de negócios para compartilhar informações importantes. Eles compatilharão as informações entre uma rede de distribuição e uma rede de petróleo e gás, por exemplo. A rede de transporte rastreiará o fluxo de mercadorias e lidará com documentos alfandegários, enquanto a rede de petróleo e gás rastreará os dados pertinentes ao produtor que enviará o óleo e ao refinador que os receberá. //Cristiane Barbieri

 

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast +