Bradesco traça ofensiva para atrair não-correntista

Bradesco traça ofensiva para atrair não-correntista

Economia & Negócios

20 Junho 2018 | 04h00

O Bradesco planeja uma ofensiva junto a não-correntistas do banco e, para essa empreitada, vai criar uma área dedicada a esse público. Na mira estão nada menos do que 43 milhões de clientes da instituição que não são correntistas, mas que possuem ao menos um produto do banco, como cartão de crédito, seguro, previdência e consórcio, por exemplo. Mais do que abrir uma conta corrente, o foco do banco é ‘rentabilizar’ melhor esse contingente, fazendo com que esses clientes deixem de ser apenas monoprodutos. Pessoas ainda sem relacionamento com a instituição, que estão a cada dia mais sendo cercadas pelas fintechs – startups do setor financeiro -, também são alvo da nova área do Bradesco.

Em busca de retorno
Além do Bradesco, o Banco do Brasil também adotou uma estratégia para atrair não-correntistas. Como isca, o banco vai oferecer um cartão de crédito para este público, mas quer ir além e ofertar outros produtos como empréstimos, previdência e seguros. Bradesco também lançou ontem, dia 19, um plástico pré-pago para não-clientes. O ataque dos grandes bancos de varejo a não-correntistas ocorre em um momento que o crédito é retomado de forma ainda lenta no Brasil, com foco nas pessoas físicas, o que obriga essas instituições a buscarem novas fontes de receita.

Siga a @colunadobroad no Twitter