Brasil fica em 53º no ranking de segurança e sustentabilidade energética

Brasil fica em 53º no ranking de segurança e sustentabilidade energética

Fernanda Guimarães

14 de janeiro de 2020 | 05h00

Foto: Willian Henrique/Divulgação Aliança Energia

O Brasil está entre os países menos evoluídos na diversificação, segurança e sustentabilidade energética. O país ocupa a 53ª posição no ranking mundial que mede o desempenho energético de 125 países em três áreas, o de segurança energética, patrimônio energético e sustentabilidade ambiental, segundo levantamento realizado pela consultoria Oliver Wyman, em parceria com o Centro de Risco Global da Marsh & McLennan Companies e com o World Energy Council (WEC). A lista tem no topo Dinamarca, Suíça e Suécia. Entre países latino-americanos, o Brasil ficou atrás de Uruguai, Chile, Colômbia, Peru e Costa Rica. Argentina ficou na 60ª colocação, Equador na 62ª, Venezuela em 76ª e Paraguai em 87ª. Na América do Norte, Canadá ocupa a 13ª posição e Estados Unidos a 14ª.

Pouco avanço. No Brasil, de acordo com o relatório, não houve avanço na diversificação da matriz energética, na infraestrutura do setor e nas políticas públicas. Esses fatores têm refletido diretamente na modernização do setor de energia brasileiro.

Outra ponta. Ainda entre os 125 países, estão nas últimas colocações Congo, Benim, Chade e Níger.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: