Brasileiro espera orientação sobre Pix e vai dar preferência a quem ajudar

Brasileiro espera orientação sobre Pix e vai dar preferência a quem ajudar

André Italo Rocha

09 de dezembro de 2020 | 05h00

Os brasileiros têm aderido ao Pix, novo meio de pagamentos que permite transações eletrônicas em menos de 10 segundos, mas ainda há dúvidas sobre como usá-lo. Os usuários esperam ser orientados pelas instituições financeiras e estão dispostos a dar preferência a quem lhes ajudar, segundo pesquisa feita pela área de Inteligência de Mercado da Globo com 500 internautas bancarizados e maiores de 18 anos.

Corrida. De acordo com o levantamento, 93% dos entrevistados já ouviram falar do Pix e 68% aguardam receber informações das marcas para sanar suas dúvidas sobre como funciona o instrumento. As empresas que forem mais eficientes vão se dar melhor, pois 74% dos que responderam pretendem priorizar os bancos que prestarem esse serviço.

Próximo passo. O Pix começou a funcionar em 16 de novembro e completou três semanas ontem. Por enquanto, tem sido priorizadas as transferências entre contas pelo celular. Porém, 44% dos que participaram da entrevista indicaram intenção em usar o Pix para pagar compras em lojas físicas e 47%, no e-commerce.

contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

pix

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.