BRK e Corsan, de saneamento, tentam reabrir IPOs e captar ao menos R$ 3 bi

BRK e Corsan, de saneamento, tentam reabrir IPOs e captar ao menos R$ 3 bi

Altamiro Silva Junior e Cynthia Decloedt

02 de junho de 2022 | 05h15

Desde agosto passado, não houve novas ofertas na B3   Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Após quase um ano sem aberturas de capital na B3, a BRK Ambiental e a Corsan, ambas do setor de saneamento, vão tentar captar ao menos R$ 3 bilhões. A ida ao mercado é esperada para julho, mês que é visto como última chance de emplacar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) antes das férias de verão do Hemisfério Norte e, principalmente, das eleições no Brasil.

A BRK pretende captar cerca de R$ 2 bilhões em uma oferta primária, na qual o dinheiro vai todo para o caixa. Se conseguir, será a primeira empresa privada de saneamento a fazer um IPO. Os recursos serão usados para bancar participações em licitações de concessões e parcerias público-privadas (PPPs). Curiosamente, no prospecto, a BRK ressalta que não vai usar o dinheiro para pagar dívidas, estratégia de algumas companhias em 2020 e 2021, que acabaram tendo de engavetar as ofertas. A companhia pertence à canadense Brookfield, dona de uma fatia 70% por meio de um fundo, e Caixa, que tem os 30% restantes, via FI-FGTS.

Operação da Corsan segue moldes da Eletrobras

Já a estatal gaúcha Corsan pode captar cerca de R$ 1,5 bilhão, em uma privatização que segue os moldes da Eletrobras. Haverá aumento de capital e o governo do Rio Grande do Sul vai diluir sua fatia de pouco mais de 50% para abaixo de 30%. A empresa a ser listada na Bolsa será uma companhia sem controle definido, conhecida no mercado como ‘corporation’.

As duas ofertas entraram em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) esta semana, mas estavam sendo discutidas nos bancos de investimento há alguns meses. As apresentações para os investidores (roadshows) devem ter início em julho. Se a operação da Eletrobras, prevista para ser precificada no dia 9, for bem-sucedida, a chance é que as ofertas consigam sair do papel.

Novo marco do saneamento tem estimulado negócios

A secura de IPO na B3 vem desde agosto de 2021, quando as últimas duas ofertas aconteceram – Raízen e Oncoclínicas. Com os juros chegando a dois dígitos no Brasil e tendência de alta no exterior, a oferta de ambas chama a atenção. Não estivessem no setor de saneamento, no qual a criação de um novo marco regulatório vem puxando vários negócios, provavelmente novas tentativas de IPO aconteceriam somente após as eleições.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 01/06/22, às 16h19

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Tudo o que sabemos sobre:

saneamentoCorsanbrkBrookfieldIPOb3

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.