BTG Pactual amplia compromissos ESG e deve emitir CDBs sustentáveis

BTG Pactual amplia compromissos ESG e deve emitir CDBs sustentáveis

Cynthia Decloedt

01 de dezembro de 2021 | 05h40

Banco vai usar instrumento de curto prazo para financiar projetos sustentáveis   Foto: BTG Pactual

Um ano após o lançamento do escopo (framework) de compromissos com a sustentabilidade, o BTG Pactual ampliou o leque de projetos com propósitos ESG (ligados às questões ambientais, sociais e de governança) que passará a financiar e também de instrumentos com o selo da sustentabilidade a partir dos quais pretende captar recursos. Entre eles, a grande novidade, são Certificados de Depósito Bancários (CDBs), ainda sem data prevista, mas que estão sendo estudados para atender a meta de captação “verde” por meio de instrumentos líquidos.

“Dentro desse novo framework, temos não só as captações estruturadas que já fizemos, como captações mais curtas e mais líquidas”, afirma a responsável por Investimentos Sustentáveis e de Impacto o BTG Pactual, Patrícia Genelhu. Com isso, o BTG seria o primeiro na América Latina a usar um instrumento de curto prazo para financiar projetos sustentáveis.

A carteira de projetos elegíveis foi expandida para novos segmentos-alvo, como manejo florestal sustentável, agricultura de baixo carbono, financiamento para pequenas e médias empresas, transmissão de energia, gestão de recursos e prevenção à poluição.

Em novembro de 2020 o banco fez sua primeira emissão verde, uma captação privada no valor de US$ 50 milhões, quando divulgou seu framework. Em janeiro deste ano, fez uma nova captação, um green bond de US$ 500 milhões.

O BTG Pactual já alocou 71% dos US$ 550 milhões captados em emissões verdes em projetos de energia renovável, água e saneamento. O banco ainda tem dois anos para alocar os 29%, conforme o prometido aos investidores dos bonds. “A intenção é de alocação nos próximos dois anos, e está cedo para dizer se faríamos antes, mas é possível dizer que estamos andando muito bem”, acrescentou Genelhu.

Os recursos foram alocados em 27 empresas, trazendo impactos positivos, por exemplo, evitando a emissão de 4,1 trilhões de toneladas de CO2 e o acesso por 19,1 milhões de pessoas à água potável e esgoto.

Além dos bonds, o BTG Pactual já captou quase US$ 1 bilhão em linhas relacionadas à ampliação da sua carteira de crédito com foco em financiar projetos com retornos sociais e ambientais, por meio de linhas acessadas junto à Sociedade Alemã de Investimentos e Desenvolvimento (DEG) e a Proparco, subsidiária da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD); e por meio de um acordo com a Corporação Financeira dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (DFC) para financiar pequenas e médias empresas.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 30/11/21, às 18h26.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.