Buser começa a aceitar Pix, e novo meio já representa 15% dos pagamentos

Buser começa a aceitar Pix, e novo meio já representa 15% dos pagamentos

André Ítalo Rocha

18 de novembro de 2020 | 05h19

Rodovia dos Tamoios. Crédito da foto: Sergio Castro / Estadão

 

A Buser, plataforma que conecta viajantes a empresas de fretamento de ônibus, passou a aceitar o Pix, sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central (BC), desde o primeiro dia de implantação. Resultado: de ontem para hoje, 15% das transações já foram feitas com Pix.

Opções. Além do Pix, a startup também aceita cartões de crédito e débito, boletos e cheques. No site da Buser, a transação pelo novo sistema é feita por meio da geração de um código, que o consumidor copia e cola no aplicativo do seu banco.

Contato: coluna.broadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada