Caixa chega a consenso com franceses rumo ao IPO

Caixa chega a consenso com franceses rumo ao IPO

Coluna do Broadcast

09 de abril de 2019 | 04h00

A Caixa Seguridade, que concentra os negócios de seguros da Caixa Econômica Federal, chegou em um consenso com a sócia francesa CNP Assurances e vai alterar o contrato fechado na gestão anterior, ficando mais perto de abrir seu capital na bolsa, o que é esperado para o segundo semestre deste ano. A participação das sócias na nova parceria, que abrange os ramos de seguro de vida, previdência e prestamista (que garante prestações financeiras), vai mudar. A fatia da Caixa passará de 60% para 75% e da CNP de 40% para 25%. Em contrapartida, o prazo do negócio, que antes duraria 20 anos a partir de 2019, deve aumentar. Assim, os termos financeiros do negócio podem ser mantidos uma vez que a menor fatia da francesa será compensada com o maior tempo do contrato.

Próxima temporada.Acertado o negócio com a CNP, a Caixa deve na sequência reestruturar a composição das sociedades que ofereceu ao mercado. Uma das mudanças, óbvia por sinal, é a junção da carteira de seguro habitacional com residencial. Nos demais ramos, a Caixa deve deter participação de 75% e os sócios, os outros 25%. A exceção fica por conta da carteira de grandes riscos, que deve ter composição contrária, com a Caixa tendo uma fatia minoritária.

Mundo novo. As mudanças já são reflexos do novo comando da Caixa, sob os cuidados de Pedro Guimarães, e ainda da Caixa Seguridade, que passou a ser capitaneada pelo ex-Brasilprev Marco Barros. Eles chegaram com a missão de aumentar o valor dos ativos do grupo, principalmente, do lado do seguro. Procuradas, Caixa e Caixa Seguros não comentaram.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Caixa Econômica Federal

Tendências: