Caixa remodela feirão da casa própria e construtoras recorrem a plano B

Caixa remodela feirão da casa própria e construtoras recorrem a plano B

Coluna do Broadcast

09 de junho de 2019 | 04h15

Por Circe Bonatelli e Aline Bronzati

O tradicional Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal vai mudar. Responsável por transacionar entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões por ano, o evento será remodelado após 14 anos. A ideia da nova gestão do banco, presidido por Pedro Guimarães, é pulverizar o feirão. Ao invés de poucos eventos de grande porte, a Caixa prepara uma série de pequenas feiras. Tradicionalmente realizado no primeiro semestre, o feirão foi transferido para a segunda metade do ano. O novo formato deve começar a ser testado em agosto em mais de 100 municípios.

Frozen. A ausência do feirão da Caixa pode dar uma esfriada nas vendas das construtoras no segundo trimestre. Essa perda será concentrada no segmento de moradias populares, que é, justamente, o foco do feirão.

É o jeito. Sem o evento orquestrado pelo banco estatal, algumas empresas resolveram organizar suas próprias promoções de vendas. Neste fim de semana, a Tenda realizará um feirão com oferta de imóveis em condições especiais em cinco Estados. A Cury já fez o seu no mês passado. A MRV, maior operadora do Minha Casa Minha Vida (MCMV) no País, tem optado por feirões regionais no fim de cada trimestre. E a Direcional vem realizando campanhas variadas de vendas, sem o formato de feirão. Procurada, a Caixa não comentou.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem delay, assine o Broadcast+

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.