Capitalizada, Lojas Renner convoca ‘esquadrão’ de fusões e aquisições

Capitalizada, Lojas Renner convoca ‘esquadrão’ de fusões e aquisições

Talita Nascimento

20 de junho de 2021 | 05h30

Interior da Lojas Renner. Foto André Lessa/AE

A Lojas Renner está determinada a avançar em fusões e aquisições, com um time próprio. Desde dezembro, a companhia tem reforçado a equipe de Novos Negócios com contratações para segmentos de desenvolvimento de negócios e planejamento estratégico. Em janeiro, a companhia atraiu uma nova diretora de M&A e reforçou a área com o remanejamento de um funcionário para a gerência deste segmento. Além disso, em abril e maio, anunciou vagas no LinkedIn para a equipe, sendo uma de analista e outra de especialista.

Na rede social profissional, o grupo é animado e divulga as vagas com o mote: “Venha fazer parte da transformação do varejo de moda”. Não é para menos: a Renner captou R$ 3,9 bilhões em sua oferta subsequente de ações em abril, uma bolada vinda do mercado para alavancar seu crescimento.

Na última teleconferência de divulgação de resultados do primeiro trimestre, o CEO, Fabio Faccio, disse que “os recursos trarão agilidade e flexibilidade para a captura de oportunidades digitais”. Também deveriam ser feitos movimentos orgânicos e, talvez, inorgânicos, mas ainda não havia “diligências ou tratativas iniciadas” em fusões e aquisições. A verdade, porém, é que essa área da companhia está a todo vapor.

Analistas veem potenciais alvos de aquisição da Renner 

Na tentativa de traçar alvos para a Renner, os analistas da XP publicaram nesta sexta-feira um relatório que elenca nomes de alvos potenciais. Segundo os analistas Danniela Eiger, Thiago Suedt e Gustavo Senday, há quatro áreas que devem ser do interesse da companhia: empresas de “moda digital”, “moda multicanal”, “digitais focadas em outras categorias” e “fintechs de tecnologia”. Na primeira categoria, a XP lista Dafiti, Amaro e Privalia.

Na categoria de “empresas de moda multicanal”, os analistas veem a C&A, velha aposta do mercado, como a melhor candidata entre as companhias listadas. Eles dizem que podem ser feitas compras de empresas digitais de outras categorias que complementam a proposta da Renner de ser um ecossistema de moda e estilo de vida, como cosméticos ou casa e decoração. Por fim, há possibilidade da aquisição de fintechs para o fortalecimento da Realize. O relatório ainda menciona nomes como Centauro, Live!, Sallve e Passarela, todos no sentido de complementaridade de sortimento de produtos.

Em nota, a Lojas Renner afirmou que a “Diretoria de Estratégia e Novos Negócios foi criada em 2020 com o intuito de dar velocidade à agenda de parcerias, investimentos e aquisições”.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 18/06, às 18h32.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rennerfusões e aquisiçõesXP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.