Cauteloso, Sérgio Leite não se muda para gabinete da presidência da Usiminas

Coluna do Broadcast

28 de março de 2017 | 05h00

Sérgio Leite, empossado presidente da Usiminas no lugar de Rômel de Souza, ainda não está trabalhando do gabinete da presidência. Internamente, o fato vem sendo tratado com uma posição de cautela do executivo, visto que, no ano passado, uma decisão judicial o tirou do cargo. Além disso, ao contrário do que foi visto na destituição anterior, Leite acumula, além da presidência, seu cargo anterior, de diretor vice-presidente Comercial. Procurada, a Usiminas disse que Leite já “vem trabalhando com foco na geração de resultados para a companhia”.

Na Justiça
A Nippon Steel, sócia da Usiminas e que não concordou com a saída de Rômel, entrará nos próximos dias com uma ação da Justiça para reverter a decisão do Conselho. O advogado da companhia japonesa, João Marcelo Pacheco, do escritório Pinheiro Neto, afirma que o voto livre da Ternium, sua sócia na Usiminas, na reunião foi ilegal, tendo em vista o acordo de acionistas. Além disso, o advogado diz que o trabalho será “desmistificar” que a destituição de Rômel é a mesma situação correlata da destituição de Julián Eguren, ex-presidente de Usiminas indicado pela Ternium, em 2014.

 

Siga a @colunadobroad noTwitter

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.