Cimento sobe até 16% em São Paulo e imóvel deve ficar mais caro

Cimento sobe até 16% em São Paulo e imóvel deve ficar mais caro

Circe Bonatelli

18 de maio de 2022 | 05h25

Alta do insumo vai elevar valor de imóveis  Foto: Werther Santana/Estadão

O aumento nos custos dos materiais de construção – problema que atormenta as construtoras e os consumidores desde o ano passado – parece não dar trégua. A bola da vez é o cimento e os seus derivados – que respondem por cerca de 5% do orçamento da obra de um prédio residencial.

Votorantim, Holcim, Intercement, Supermix e Cortesia enviaram cartas às incorporadoras da região metropolitana de São Paulo nas últimas semanas anunciando reajustes que variam de 10% a 16% de cimento, concreto e argamassa.

Cimenteiras dizem que tiveram alta em seus custos

As cimenteiras dizem que foi necessário compensar o aumento em seus próprios custos de produção e transporte. Segundo as empresas da área, o principal vilão do período foi o diesel, que encareceu os fretes. Mas há outros problemas, como a variação cambial.

Algumas fornecedoras também deixaram de trabalhar com vendas antecipadas às construtoras, prática que “trava” os preços negociados. Ou seja, todos os pedidos expedidos após a data de reajuste serão faturados com os preços novos (e mais altos).

Os comunicados contrariaram as construtoras, que veem não apenas repasse de custos, mas também ganho real das fornecedoras. A preocupação é que o bolso do comprador de imóvel não tem conseguido acompanhar o aumento nos preços das moradias.

O Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) acumula alta de 11,5% nos últimos 12 meses e voltou a acelerar em março e em abril. O mês de maio também deve começar a refletir a subida de custos com mão de obra. Os trabalhadores de São Paulo, por exemplo, tiveram dissídio de 12,5% que começará a ser pago neste mês.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 17/05/22, às 16h25

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.