Classes C e D não recuperaram emprego, mas se mostram otimistas com vacina

Classes C e D não recuperaram emprego, mas se mostram otimistas com vacina

Matheus Piovesana

01 de janeiro de 2022 | 10h30

Fila para vacinação contra covid-19 em Botucatu (SP)   Foto: Celio Messias/ Estadão

A renda dos brasileiros das classes C e D ainda está prejudicada pela pandemia, mas a vacinação tem deixado essa fatia da população mais otimista. Pesquisa realizada no fim de outubro em todo o País, constatou que mais da metade dos trabalhadores dessas classes sociais perderam o emprego durante a pandemia. Desse grupo, 73,3% ainda não conseguiram voltar ao mercado de trabalho.

Por outro lado, 68,6% dos entrevistados mostraram-se otimistas com a situação da economia do País. Alexandre Ramalho, CEO da empresa de marketing pelo celular Go2Mob, que fez a pesquisa com a FirstCom, enxerga nisso a esperança do brasileiro de que a vacinação contra a covid-19 leve a economia de volta à normalidade.

O levantamento, porém, constatou de forma clara como os brasileiros com menor poder aquisitivo ficaram desprotegidos durante a pandemia. Dos trabalhadores de classes C e D que não perderam o emprego, apenas 12,9% conseguiram trabalhar de casa. Além disso, 42,9% das famílias viram seus jovens desistindo dos estudos para trabalhar.

A pesquisa foi realizada com 4.520 pessoas de todo o País, das classes C e D, entre os dias 30 de setembro e 1º de outubro. O levantamento será utilizado por empresas clientes da Go2Mob para traçar estratégias de propaganda e produtos.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 30/12/21, às 14h46.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.