Clear Sale tem forte demanda para IPO e fecha ação no topo, a R$ 25,00

Clear Sale tem forte demanda para IPO e fecha ação no topo, a R$ 25,00

Cynthia Decloedt, Altamiro Silva Junior e Cristiane Barbieri

29 de julho de 2021 | 05h30

Empresa pode chegar à B3 avaliada em até R$ 4,7 bilhões  Foto: Gabriela Biló/Estadão

A Clear Sale, provedora de soluções antifraude digital, vendeu sua ação a R$ 25 na abertura de capital (IPO, em inglês) que foi concluída na tarde de quarta-feira, de acordo com fontes ouvidas pela coluna. Com forte demanda, que chegou a superar a oferta em oito vezes, o papel saiu no topo da faixa indicativa, que ia de R$ 20,00 a R$ 25,00, diferentemente de operações recentes, que tiveram os preços perto do piso.

A Clear Sale captou R$ 1,1 bilhão, considerando apenas o lote principal de sua oferta. No IPO, eram 25 milhões de ações primárias, emitidas pela companhia, e 20,4 milhões em uma oferta secundária dos sócios vendedores, que incluem os fundos Gandra e FIP Innova, e pessoas físicas, incluindo o fundador e presidente, além do ex-atleta olímpico Pedro Paulo Chiamulera. A empresa pode chegar à B3 avaliada em R$ 4,7 bilhões, caso o “greenshoe” (lote suplementar) seja exercido.

Variáveis

Um gestor que deu ordem de compra para o papel conta que desde terça-feira a informação era de que a ação estava bastante disputada no IPO, com rateio entre os investidores devendo ser bem alto. A Clear Sale tem uma história de crescimento muito interessante, é bem gerida, mas ao mesmo tempo tem múltiplos que chamam atenção, por não ser uma companhia como outras mais tradicionais, segundo essa fonte. O indicador Preço-Lucro, conhecido em inglês como Price-Earnings (P/E), da Clear Sale está em 200 vezes, considerando o lucro projetado de 2022 – ou seja, o capital investido só retornaria em 200 anos.

Nessas empresas de crescimento acelerado, destaca esse gestor, se for olhar o P/E, o investidor não entra na operação. A variável que precisa ser considerada é o ritmo de expansão e a receita, pois companhias como a Clear Sale se beneficiam do fluxo de novos clientes que chegam, que depois podem ser monetizados.

A estreia na B3 será na sexta-feira (30) com o código CLSA3. Os coordenadores da oferta foram Itaú BBA, Bank of America, BTG Pactual e Santander.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 28/07/2021, às 16h13.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Tudo o que sabemos sobre:

IPOfraudes digitaistecnologiaClear Sale

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.