CMAA, de açúcar e álcool, entra na fila para oferta inicial de ações

Cynthia Decloedt

20 de novembro de 2020 | 05h06

Colheita de cana de açúcar. Crédito da foto: Thiago Teixeira / Estadão

 

A Companhia Mineira de Açúcar e Alcool (CMAA), uma das maiores no segmento de etanol e bioeletricidade de Minas Gerais, entrou na fila das companhias que devem ter oferta de ações (IPO) em Bolsa na atual janela, que vai até fevereiro. A oferta deve ficar em torno de R$ 1 bilhão. A empresa já é aberta na categoria B, ou seja, para emissões de títulos, mas não de ações.

Bem posicionada. A expectativa é de que a operação chame a atenção, já que são poucas as companhias desse setor com ações em Bolsa e o agronegócio é considerado uma boa história. Com capacidade de moagem de 7,5 milhões de toneladas ao ano, a CMAA encerrou o ano safra 2019/2020, em março, com receita bruta de R$ 1,1 bilhão e Ebtida (lucro antes de imposto, tributos, depreciação e amortização) de R$ 440 milhões.

Ar puro. Recentemente, entrou no mercado de comercialização de Créditos de Descarbonização, os conhecidos CBios, com a oferta de créditos de carbono para que outras empresas compensem emissões de gases causadores do efeito estufa e atinjam suas metas anuais do programa federal RenovaBio. Procurada, a CMAA não retornou.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 19/11/2020 às 17:57

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: