Com 70% da receita vinda do exterior, Cheesecake Labs cresce 25% em 2018

Com 70% da receita vinda do exterior, Cheesecake Labs cresce 25% em 2018

Coluna do Broadcast

02 de janeiro de 2019 | 05h09

Com 70% de seu faturamento proveniente do exterior, a desenvolvedora Cheesecake Labs, que nasceu em 2013 na sala de um apartamento em Florianópolis por quatro amigos, está se reorganizando para alcançar os R$ 13 milhões em receitas em 2019. No ano passado, o faturamento cresceu 25% em relação ao ano anterior, chegando a R$ 10 milhões. Empregando novas tecnologias e o blockchain, a companhia levou soluções para 35,8 milhões de usuários em 2018, a partir de 30 clientes, dos quais quase 60% localizados em países como Estados Unidos, Inglaterra, Suíça e Espanha.

Diversificado. Entre os aplicativos feitos pela Cheesecake está o Moria, que usou blockchain para arrecadar fundos a fim de reativar uma mina de ouro nos Estados Unidos. O Skyroam, que vende Wifi em aeroportos internacionais e a plataforma global de incentivo ao empreendedorismo de impacto da Singularity University também estão no catálogo. No Brasil, a companhia desenvolveu a Braincare, uma solução para medir a pressão intracraniana sem a necessidade de perfuração, e um aplicativo de pagamentos por meio de reconhecimento facial, o Faced.

Bem fundamentado. Parte da estratégia da empresa para atingir seus objetivos são mudanças no time. Os quatro fundadores fizeram uma transição dos cargos executivos para formar um comitê estratégico. Foi formada uma nova diretoria no lugar, liderada pelo presidente-executivo Marcelo Gracietti, que tem experiência em empresas de petróleo nos Estados Unidos, de metrologia na Espanha e de microprocessadores na França.//Cristiane Barbieri

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast +