Com aporte de R$ 50 milhões, startup vai brigar no mercado online de imóveis

Com aporte de R$ 50 milhões, startup vai brigar no mercado online de imóveis

Coluna do Broadcast

20 de novembro de 2019 | 05h30

Por Circe Bonatelli

O reaquecimento  do mercado imobiliário tem incentivado o lançamento de startups que tentam diminuir a burocracia nas transações. A mais nova delas é a Mudeii, plataforma para interessados em fechar contrato de aluguel pela internet. O aporte inicial na nova empresa foi de R$ 18 milhões, e para os próximos três anos, estão previstos investimentos adicionais de R$ 32 milhões, totalizando R$ 50 milhões. A startup pertence ao Grupo Foii, que atua nos ramos financeiro e imobiliário.

LEIA MAIS: Quinto Andar levanta US$ 250 milhões e vira novo ‘unicórnio’ brasileiro

Como funciona. Na Mudeii, a promessa é que o interessado no imóvel passe por análise de crédito e assine o contrato via reconhecimento facial em até 15 minutos. Já o dono da moradia recebe o pagamento mensal na data combinada, mesmo que o inquilino atrase o depósito. A empresa se responsabiliza por documentação, registro, contrato e repasse de valores. A meta é ganhar uma participação de até 5% do mercado nacional de locação, que conta com cerca de 13 milhões de casas e apartamentos, e atingir faturamento de R$ 100 milhões em um ano.

Concorrência. A competição está cada vez mais acirrada, pois o mercado imobiliário recebeu uma leva de startups que se tornaram pesos pesados nos últimos anos. O Quinto Andar, especializado em aluguel de residências, levantou US$ 250 milhões em investimentos em setembro e entrou para o seleto grupo de unicórnios – empresas de tecnologia avaliadas em pelo menos US$ 1 bilhão. Outra empresa que decolou foi a Loft, que faz a compra, reforma e venda de apartamentos. Fundada em 2018, ela já está avaliada em cerca de R$ 1,5 bilhão.

Veja ainda: Unicórnios brasileiros: saiba quais e o que são essas startups raras

Notícia publicada no Broadcast dia 19/11/2019, às 15:59:11

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.