Com dívidas de R$ 100 mi, prestadora de serviço italiana da TIM pede recuperação judicial

Com dívidas de R$ 100 mi, prestadora de serviço italiana da TIM pede recuperação judicial

Cynthia Decoledt

22 de julho de 2022 | 05h30

O Grupo PSC do Brasil, responsável pela operação e manutenção de redes elétricas e de telecomunicações, entrou com pedido de recuperação judicial, seguindo sua matriz na Itália. Com um faturamento de R$ 300 milhões e dívidas de R$ 100 milhões, o PSC do Brasil tem entre seus maiores clientes a TIM e a Enel.

A matriz recorreu à proteção da justiça contra credores na Itália e aqui, após não conseguir honrar garantia dada ao Banco Santander relacionada à operação de sua subsidiária no Brasil. O grupo é assessorado pela Pantálica Partners. Para obter liquidez e organizar suas finanças, a unidade do grupo no Brasil que responde pela operação e manutenção da rede da TIM, a Alpitel, foi colocada à venda.

Grupo usou pacote de socorro na Itália

A pandemia pesou na conta do grupo italiano, apesar do socorro de 100 milhões de euros obtido do plano de recuperação e resiliência nacional (PRRN), lançado pelo governo da Itália para minimizar o impacto do lockdown na economia. A dívida do Grupo PSC chega a 200 milhões de euros (cerca de R$ 1,1 bilhão).

O banco de fomento Cassa Depósito e Prestito, semelhante ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), tem uma participação de 20% no Grupo PSC. Em 2019 o Grupo comprou a segunda maior empresa do setor na Itália, a Italtel, tornando-se uma empresa de mais de 1 bilhão de euros (cerca de R$ 5,5 bilhões) em volume de negócios.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast  no dia 21/07/22, às 14h30

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

 

Tudo o que sabemos sobre:

pscTimantenas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.