Com ofertas próprias, Caixa entra no ranking de bancos de investimento

Com ofertas próprias, Caixa entra no ranking de bancos de investimento

Coluna do Broadcast

29 de outubro de 2019 | 04h00

Conhecida desde sempre como o “banco da habitação”, a Caixa Econômica Federal entrou, pela primeira vez, no ranking dos bancos de investimento. Sob o comando de Pedro Guimarães, a instituição colocou a placa de vende-se em cima de vários ativos e passou a fazer parte do clube – apesar de muitos acharem que será uma posição provisória. Com o impulso de ofertas “jumbo”, como Petrobrás e IRB Brasil Re, e um empurrãozinho do setor de construção, a Caixa aparece em décimo lugar na lista, considerando as receitas geradas, o chamado fee, com US$ 13,65 milhões, conforme levantamento da consultoria Dealogic.

Ponto de vista. Em número de transações, a Caixa conseguiu uma posição um pouco melhor. É a oitava, ao coordenar sete ofertas de ações no ano até aqui, segundo a Dealogic, que é especializada na coleta de dados do mercado financeiro. Os números ainda não consideram, contudo, a operação de R$ 5,8 bilhões do Banco do Brasil, que teve os dois bancos como acionistas vendedores. A Caixa também participará de outras duas ofertas, conforme fonte, o que se confirmado totalizará dez operações nas quais atuou como coordenadora ao longo do ano.

Senta que lá vem história. O potencial da Caixa como banco de investimento ainda pode ser visto ao longo de 2020, com as ofertas iniciais de ações de subsidiárias, que devem somar bilhões de reais. São esperadas as aberturas de capital da Caixa Seguridade, que pode ocorrer no primeiro trimestre, da unidade de cartões, além da gestora e das loterias.

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Caixa Econômica Federalpetrobrás

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: