Com pressa, J&F fecha venda da Eldorado, maior M&A do ano, em tempo recorde

Com pressa, J&F fecha venda da Eldorado, maior M&A do ano, em tempo recorde

Coluna do Broadcast

02 Setembro 2017 | 12h28

Os irmãos Batista conseguiram fechar mais um negócio em tempo recorde. A J&F vendeu a Eldorado para a Paper Excellence (PE) por R$ 15 bilhões em apenas uma semana desde o início da diligência, no dia 26 de agosto. Novamente, para dar agilidade à operação, utilizaram a due dilligence confirmatória, ou seja, que acontece após a assinatura do contrato e não de forma preliminar.

Pressa
Desta vez, os irmãos não quiseram fechar exclusividade como fizeram com a Arauco, cuja negociação não prosseguiu, já que tinham pressa. É o segundo negócio da desova de ativos da J&F que teve o BTG Pactual na ponta compradora. As transações foram bastante disputadas pelos bancos de investimento. Isso porque os irmãos Batista preferiram tocar as conversas pessoalmente com os interessados. A venda da Eldorado é a maior transação de fusão e aquisição (M&A, na sigla em inglês) anunciada no Brasil neste ano.

Jogo de apostas
Embora a due dilligence confirmatória seja muito mais simples, concede um direito meio que restrito de o comprador abandonar o negócio. Ou seja: o negócio pode não vingar. Ainda assim existem no mercado apostas de que a venda da Eldorado pode sofrer alterações finalizada a diligência com a PE.

Magoou
Também há pressão por parte dos credores da empresa, que ficaram desconfortáveis com o desfecho da venda da Eldorado, afinal, não têm relação com o comprador. Outro ponto que chamou atenção do mercado foi o longo período para conclusão da transação, de até 12 meses.

Siga a @colunadobroad no Twitter