Com recuperação judicial da Avianca, Atvos e Oi na bagagem, advogados abrem escritórios

Cynthia Decloedt

10 de novembro de 2020 | 05h20

Olhando para um cenário de aumento nos casos de recuperação judicial, mas principalmente para um mercado que se sofistica, dois renomados advogados especializados na defesa de credores e investidores estrangeiros, Eduardo Mattar e Paulo Padis, uniram forças e acabam de criar um novo escritório. No PadisMattar, ambos terão uma banca de 25 advogados e devem seguir o DNA de suas carreiras, ou seja, assessorar estrangeiros em grandes processos de recuperação judicial. Mattar sai do quase centenário Pinheiro Guimarães, levando 14 pessoas de sua equipe, enquanto Padis já atuava por meio de seu próprio escritório.

Parrudo. Na carreira de ambos, a lista de casos, sempre pelo lado de credores e investidores, é longa e emblemática, como OAS, Invepar, Samarco, Schahin, Odebrecht, Queiroz Galvão, para citar alguns. Entre os mais recentes, Mattar representou o fundo norte-americano Elliot, maior credor da companhia aérea Avianca, numa ferrenha disputa com a Azul. Padis é hoje representante do fundo norte-americano Lone Star, credor da Atvos, do Grupo Odebrecht, além de ter assessorado os fundos estrangeiros que ficaram com a Oi.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

advocaciaavianca

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: