Com reestruturação, disputa entre Odebrecht e Gradin pode ganhar corpo

Com reestruturação, disputa entre Odebrecht e Gradin pode ganhar corpo

Coluna do Broadcast

30 de novembro de 2018 | 04h00

A disputa judicial da família Odebrecht com a Gradin pode ganhar corpo com a reestruturação financeira em curso do grupo, dado o elevado montante envolvido e a perspectiva de se somar às suas dívidas. O valor envolvido é de, no mínimo, US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 6 bilhões), relativo a uma opção de compra dos 20,5% de participação dos Gradin na holding do grupo exercida pela Odebrecht. A soma pode alcançar US$ 3 bilhões – algo como R$ 12 bilhões – se, eventualmente, for acatada a demanda dos Gradin relativa ao cálculo do valor da participação, o qual considera ter sido subavaliado.

Na Bahia. A expectativa é de que já no primeiro semestre de 2019 o caso, que dura oito anos, chegue enfim a uma câmara de arbitral, provavelmente da Bahia. Os montantes são comparáveis aos que empresas do grupo renegociam nesse momento. A Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) deve, em breve, sentar-se à mesa com credores externos para reestruturar US$ 3,1 bilhão em títulos, enquanto a Atvos, ex-Odebrecht Agroindustrial, renegocia um passivo de R$ 12 bilhões. Odebrecht e família Gradin não retornaram.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

odebrecht

Tendências: