Com quase 2,5 milhões de receitas médicas por mês, plataforma cria marketplace para faturar

Com quase 2,5 milhões de receitas médicas por mês, plataforma cria marketplace para faturar

Juliana Estigarríbia

18 de março de 2021 | 05h02

Médico atende paciente remotamente. Foto: Fabio H Mendes/E6 Imagens/Einstein

Com o avanço da medicina remota por conta da pandemia, a healthtech Memed viu o número de receitas médicas emitidas na plataforma ir de 500 mil por mês em média, em 2020, para uma expectativa de 2,3 milhões a 2,5 milhões, em março. Com 120 mil médicos cadastrados, que a usam de forma gratuita, a plataforma conecta as receitas a 30 mil farmácias e drogarias cadastradas.

Agora, deve começar a ganhar dinheiro com a operação, com o lançamento de um marketplace (espécie de shopping virtual) para os medicamentos a partir da receita digital, agendamento de exames e outros estabelecimentos ligados à área da saúde. Segundo o CEO da Memed, Ricardo Moraes, o plano inclui cobrar uma comissão por todos os serviços prestados na plataforma.

Para médicos, pacientes e farmácias que apenas quiserem acessar as receitas, o uso continuará gratuito. Desde sua fundação, a Memed recebeu cerca de R$ 33 milhões em quatro rodadas de investimentos. Sem abrir números, Moraes diz que uma nova rodada acontecerá em breve.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 17/03/2021, às 14:58.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

telemedicinapandemiamarketplace

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.