Com US$ 1,7 bi, fundo soberano de Cingapura supera private equity no Brasil

Coluna do Broadcast

09 de abril de 2017 | 05h00

O fundo soberano de Cingapura, o GIC, foi mais ativo em investimentos no Brasil que os próprios gestores especializados em private equity (que compram participações em empresas). De 2014 até agora, aportou quase US$ 1,7 bilhão em quatro negócios: Netshoes, Abril Educação, Cruzeiro do Sul e Rede D’Or, o maior deles e que consumiu mais de US$ 1 bilhão. Em segundo e terceiro lugares, estão os norte-americanos Carlyle, com US$ 1,282 bilhão investidos, e Advent, com US$ 1,214 bilhão.

Seletivos

Mas Carlyle e Advent foram os únicos fundos a fecharem negócios neste ano. Enquanto o primeiro adquiriu a empresa FS, do setor de segurança e serviços para celulares, por cerca de US$ 100 milhões, o Advent desembolsou US$ 172 milhões pela quantiQ, empresa de distribuição de produtos químicos da Braskem.

Siga a @colunadobroad no Twitter