Como concorrentes, SumUp, de maquininhas, aumenta taxas com alta da Selic

Como concorrentes, SumUp, de maquininhas, aumenta taxas com alta da Selic

Matheus Piovesana

06 de julho de 2022 | 05h30

Empresas de maquininhas estão repassando custo maior ao cliente  Foto: Gabriela Biló/Estadão

A empresa de maquininhas SumUp está aumentando as taxas que cobra de seus clientes, diante da alta da Selic. Os novos clientes entram na base com preço novo, e os que já operam com a companhia têm tido reajuste. A ideia é repassar o crescimento da despesa financeira, que subiu para todo o setor.

Em seu site, a empresa estampa taxas de 1% para as transações com todas as modalidades de cartão nos primeiros dois meses de uso da maquininha. Após o período promocional, para clientes com vendas de até R$ 10 mil ao mês, os valores aumentam para 1,9% no débito, 4,9% no crédito com recebimento em um dia útil e 3,7% para receber em até 30 dias por parcelas.

Financiar adiantamento de recebíveis ficou mais caro

Hoje em 13,25% e ainda em ciclo de alta, a taxa básica de juros torna mais caro o crédito que essas empresas tomam para financiar produtos como o adiantamento de recebíveis. Da líder Cielo às desafiantes Stone e PagSeguro, todas estão repassando o custo ao cliente.

O Brasil é um dos cinco maiores mercados da SumUp, que faz parte de um grupo de “desafiantes das desafiantes”. Juntas, essas empresas já abocanham uma fatia de quase 15% do mercado, segundo estimativas do setor.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 05/07/22, às 10h59

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Tudo o que sabemos sobre:

maquininhasSumUpcartãoselic

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.