Companhias pedem à CVM mais prazo para divulgação de balanços do 2 trimestre

Companhias pedem à CVM mais prazo para divulgação de balanços do 2 trimestre

Vinicius Neder e Mariana Durão

21 de julho de 2020 | 18h37

O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (Ibri) fez uma consulta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), solicitando prorrogação do prazo para a divulgação dos demonstrativos financeiros do segundo trimestre de 2020 das companhias abertas, por causa da continuidade da pandemia. O colegiado da CVM analisa o pedido em reunião na manhã desta terça-feira, 21, informou a assessoria de imprensa do órgão. A Coluna apurou que uma decisão poderá sair ainda hoje.

Nos mesmos moldes. A consulta do Ibri solicita um adiamento nos moldes do que já foi feito para as informações referentes ao quarto trimestre de 2019, e fechamento do ano, e ao primeiro trimestre de 2020. Em 31 de março, a CVM anunciou o adiamento dos prazos de entrega de informações periódicas das companhias abertas, incluindo demonstrações financeiras, formulários trimestrais, formulário cadastral, formulário de referência e o informe sobre o Código Brasileiro de Governança Corporativa. Assim, os balanços financeiros de 2019 puderam ser apresentados até o fim de maio. Já as demonstrações do primeiro trimestre de 2020 ganharam mais 45 dias de prazo, ou seja, puderam ser apresentados até o fim de junho. O Ibri pede mais 45 dias para a apresentação das demonstrações do segundo trimestre.

Isolamento. Para solicitar o adiamento dos prazos, o Ibri diz, na consulta, que segue as medidas restritivas ao contato social, em sua maioria impostas por governos estaduais e prefeituras, seguem em vigor, ainda que algumas delas tenham sido relaxadas. Para o Ibri, são “notórios os severos impactos adversos e inesperados” das medidas de isolamento social na produção de informações financeiras das companhias.

Mais pra frente. O adiamento de prazos das informações referentes ao quarto trimestre de 2019 e aos três primeiros meses de 2020 foi importante para as empresas. De um total de 549 companhias abertas, 59% usaram o prazo prorrogado para apresentar as demonstrações, mostra um levantamento do Ibri. O prazo maior foi usado especialmente pelas empresas abertas da categoria B, conforme a classificação da Instrução 480/2009 da CVM, ou seja, companhias que não vendem ações, certificados de ações ou títulos que possam ser convertidos nesses papéis. Entre as 186 empresas da categoria B incluídas no levantamento do Ibri, 67% apresentaram as demonstrações no prazo prorrogado.

contato: colunadobroad@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: