Concessionárias de rodovias tentam antecipar cálculo de perdas na pandemia

Concessionárias de rodovias tentam antecipar cálculo de perdas na pandemia

Amanda Pupo

23 de junho de 2020 | 05h14

Rodovia dos Tamoios. Crédito da foto: Sergio Castro / Estadão 

Para acelerar o reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos, as concessionárias de rodovias se anteciparam e já buscam uma metodologia para calcular as perdas nas operações em razão da pandemia. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges, a entidade já contratou consultoria para auxiliar nesse cálculo.

A metodologia do desequilíbrio nas concessões pode ser feita de forma mais genérica, enquanto que as recomposições dos contratos serão analisadas caso a caso pelo Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Concessionárias de rodovias vão apresentar contas ao governo

Quando a fórmula para calcular perdas estiver fechada, ela será apresentada ao governo. Borges diz que esse é “segundo passo” para que as concessões consigam recompor os danos causados pela pandemia. O primeiro já foi concretizado, após a Advocacia-Geral da União (AGU) reconhecer que as perdas causadas pela crise do novo coronavírus são de responsabilidade do poder público, e não do concessionário.

O terceiro passo, por fim, será o reequilíbrio dos contratos. Para a ABCR, essa fase deve ocorrer ainda este ano. Borges defende que seja o mais rápido possível, de preferência no terceiro trimestre.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: