Consumidor tenta fugir da alta na conta de luz, e comercialização da Enel Trading quase dobra

Consumidor tenta fugir da alta na conta de luz, e comercialização da Enel Trading quase dobra

Leandro Tavares

05 de julho de 2021 | 18h00

Aumento de comercialização ocorre mesmo em meio à pandemia  MARCELO MIN/ESTADÃO

A Enel Trading comercializou 2.010 megawatts (MW) médios no mercado livre de energia elétrica no primeiro trimestre do ano, uma alta de 97% em relação ao mesmo período do ano passado. A empresa é o braço de comercialização de energia da Enel Brasil, lançada em junho de 2020.

A expansão da comercialização de energia ocorre mesmo em meio aos impactos da pandemia da covid-19 na atividade econômica do País, o que sinaliza que um número crescente de grandes consumidores vislumbra no mercado livre uma alternativa para reduzir o valor da conta de luz.

Dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) mostram que o consumo de energia no mercado livre teve uma alta de 12% no primeiro trimestre de 2021 na comparação anual, para 22,67 mil MW médios. No período, o mercado livre representou 33% do consumo total de energia elétrica, uma alta de 2 pontos percentuais (p.p) na mesma base de comparação.

Venda para consumidor final subiu 73%

No trimestre, a Enel Trading registrou um crescimento de 73% nas vendas de energia para os consumidores finais quando comparado com o mesmo período de 2020, para 1,083 mil MW médios. A comercializadora, por sua vez, vendeu 436 MW médios para os clientes convencionais, uma alta de 66% na base anual. Em relação aos clientes livres especiais, que só podem migrar para o mercado livre comprando energia de fontes renováveis, como eólica e solar, a elevação foi de 78%, para 647 MW médios.

“Esse resultado pode ser atribuído à criação e posicionamento da marca Enel Trading para atuar no mercado brasileiro, à expansão do time comercial nos últimos meses e à nossa capacidade de comercializar energia a preços competitivos”, afirma o head de Comercialização e Trading da Enel Trading, Dario Miceli.

Segundo a companhia, o bom desempenho no primeiro trimestre do ano contribuiu para que a comercializadora tivesse o maior crescimento de market share no mercado livre entre abril de 2020 e igual mês de 2021, passando de 3,9% para 5,4% participação.

Esta nota foi publicada no Broadcast + no dia 02/07/2021 às 08h01

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.