Contratações na saúde suplementar crescem acima de toda a economia em 2018

Contratações na saúde suplementar crescem acima de toda a economia em 2018

Coluna do Broadcast

20 de fevereiro de 2019 | 04h00

O número de postos de trabalho com carteira assinada no setor da saúde suplementar voltou a crescer acima de todos os segmentos da economia em 2018, mantendo o comportamento visto desde 2014, apesar do impacto da crise dos últimos anos no emprego. No ano passado, as contratações no segmento cresceram 3,4%, representando a criação de 114,1 mil postos de trabalho, enquanto os empregos formais no País subiram 1%. No total, a saúde suplementar emprega 3,5 milhões de pessoas, ou seja, 8,1% da força de trabalho no País, de acordo com dados exclusivos do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) obtidos pela Coluna.

Mais e mais. O sudeste e centro-oeste chamaram a atenção na criação de postos de trabalho em 2018. O sudeste se destacou pelo saldo absoluto, de mais de 30 mil contratações na comparação com dezembro de 2017, e a região Centro-Oeste, por ter dobrado a geração de empregos ante o ano anterior, para 16,4 mil.

Contra a maré. As inovações tecnológicas e o interesse do capital estrangeiro tem fomentado o emprego nos últimos quatro anos na saúde, que abriga fornecedores, prestadores de serviços, operadoras e seguradoras. O número-índice do estoque de emprego na cadeia do IESS, que tem 2009 como ano base, atingiu o patamar de 141 em 2018. A trajetória é ascendente desde 2014 e oposta à dos empregos formais de toda a economia, que caíram de cerca de 120 para 110 no final de 2018.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

saúde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.