Copel é acusada de não cumprir contrato e disputa vai para arbitragem

Coluna do Broadcast

17 de janeiro de 2017 | 05h00

A Copel está sendo acusada de quebra de contrato por um Fundo de Investimento em Participações (FIP) e a briga deve ser decidida por arbitragem. O imbróglio envolve uma parceria entre a empresa paranaense e o FIP IEER, que criou a Companhia de Energias Renováveis (CER Energia). A Copel tem participação de 49,9% nesta empresa.

Contrapartida. O FIP IEER aponta que a Copel teria começado a indicar falhas materiais em projetos já aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nesse ínterim, a CER participou de leilões, tendo saído vencedora em quatro certames, em projetos que demandariam investimentos de R$ 2,1 bilhões. A contrapartida da Copel, no entanto, nunca teria saído. Os próprios advogados da estatal de energia teriam alertado a administração sobre o caso. A Copel não comentou o assunto e afirmou que existe um termo de confidencialidade.

Contrato. Pelo contrato firmado, o IEER formularia projetos de energia eólica, que passariam pelo aval da Copel. Ainda pelo acordo, a Copel faria pagamentos para a CER Energia, sendo que o contrato estabelecia que seriam realizados investimentos de R$ 4,5 bilhões em projetos que somariam 1.150 megawatts (MW). Ao fim de cinco anos, a Copel compraria a participação da IEER na CER.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Copel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.