Cosan pede a investidores para passar US$ 750 mi em títulos a subsidiária

Cosan pede a investidores para passar US$ 750 mi em títulos a subsidiária

Cynthia Decloedt

26 de abril de 2022 | 05h30

A Raízen é uma das empresas controladas pela Cosan   Foto: Raízen/ divulgação

A Cosan pediu a investidores que detêm US$ 750 milhões em bonds que vencem em 2029 autorização para mudar a titularidade desses papéis para uma de suas subsidiárias financeiras fora do Brasil. Os títulos pagam juro anual de 5,5%. A mudança pedida decorre da reorganização societária feita no ano passado, por meio da qual a Cosan Limited, emissora dos bonds, deixou de existir.

A Cosan anunciou a intenção no exterior ontem e ofereceu um prêmio de US$ 1,25 para cada US$ 1 mil bonds que forem submetidos à proposta. O período para adesão à solicitação expira no dia 29.

A Cosan não indica qual de suas subsidiárias deseja apontar como nova emissora dos bonds, mas informa que seguirá sendo garantidora de tal dívida. A companhia precisa da aprovação de um número de investidores que representem a maioria do volume em circulação para alterar a titularidade.

Um dos efeitos da mudança de titularidade do emissor de um bond é a redução de seu endividamento e, potencialmente, a criação de um espaço no seu balanço para tomar um novo empréstimo. Mas, nesse caso,  como a substituição envolverá somente o veículo no exterior emissor, a Cosan S.A, a holding criada na reorganização, os bonds seguirão em seu balanço.

Rating

Recentemente, a empresa anunciou captação de R$ 1,5 bilhão em debêntures, que terão os recursos direcionados a aquisições feitas.  As debêntures receberam rating AAA pela Fitch, que justificou a nota à atividade diversificada e liderança nos segmentos importantes nos quais a companhia atua.

A Fitch afirma ainda que a nota incorpora a expectativa de que o grupo reportará uma robusta geração de fluxo de caixa, preservará forte liquidez e alavancagem líquida abaixo de 3,0 vezes, à medida que a capacidade de geração de fluxo de caixa das subsidiárias Rumo e Compass Gás e Energia melhore, e a Raízen e Raízen Energia e a Companhia de Gás de São Paulo paguem significativos dividendos ao grupo.

Entre os principais acordos de fusão e aquisição recentes do grupo está a compra dos 51% da Gaspetro pertencentes à Petrobras, por mais de R$ 2,03 bilhões. Procurada, a Cosan, que está em período de silêncio, não comentou.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 25/04/22, às 17h32.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.