Crédito às PMEs via fundos e factorings tem queda brusca esta semana

Crédito às PMEs via fundos e factorings tem queda brusca esta semana

Cynthia Decloedt

27 de março de 2020 | 05h00

O crédito para pequenas e médias empresas ficou mais travado esta semana. Principalmente aquele concedido por meio de fundos de duplicatas, chamados de Fundos e Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs), e pelas factorings, empresas que emprestam dinheiro a partir de recebíveis. Enquanto na semana passada a atividade dessa indústria ainda mostrava estabilidade, há relatos de que, desde a segunda-feira, 23, o volume de concessões caiu à metade entre um grupo de fundos bastante atuante e reconhecido nesse mercado. A retração foi resultado direto da paralisação da atividade econômica, em decorrência do coronavírus. Esse grupo não representa todo o mercado, mas ilustra as dificuldades que as empresas menores, de vários setores produtivos e de serviços, têm tido para conseguir crédito, como alternativa às linhas bancárias. Os fundos e as factorings dizem estar inseguros quanto à qualidade dos recebíveis no atual cenário de incertezas.

Dois lados. Além da menor oferta de crédito, especialistas afirmam que a contração nas operações dos fundos e das factorings começará a ser afetada também pela queda na quantidade de duplicatas disponíveis, em consequência da parada econômica.

Tamo junto. Mas não são só as empresas que estão sob pressão. Os próprios fundos correm o risco de ter seus patrimônios impactados negativamente pela probabilidade de os credores buscarem a renegociação das duplicatas.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Quer saber mais sobre o Broadcast? Fale conosco

Tudo o que sabemos sobre:

FIDCsfactoringpme

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: