Credz, do grupo Zogbi, levanta mais R$ 400 milhões para financiar expansão

Cynthia Decoledt

21 de julho de 2022 | 17h00

Cartões emitidos pela Credz servirão de recebíveis. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A Credz, emissora de cartões do Grupo Zogbi, captou mais R$ 400 milhões para dar sequência a uma série de investimentos para expandir seu negócio e fincar marca entre as varejistas. Os recursos foram levantados por meio de um fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) que tem como lastro recebíveis dos cartões emitidos pela Credz, originados junto a 600 redes de varejo.

A Credz nasceu em 2011 como emissora e bandeira de cartões, mas em 2018 fechou acordo com a Visa e deixou de atuar como bandeira. Ela trabalha com o modelo “private label”, no qual o cartão tem o logo das varejistas parceiras. Recentemente, recebeu R$ 350 milhões do Banco Modal e do Credit Suisse, que podem ser transformados em participação de pouco mais de 17%.

A demanda para o Fidc superou R$ 1 bilhão e a cota sênior, de R$ 300 milhões, foi vendida pagando retorno ao investidor de 3,5% mais a taxa DI. Mais de 40 assets fizeram proposta pelo Fidc, de acordo com o sócio-fundador da Credz, Jose Renato Borges. Esta foi a sétima operação do tipo realizada pela casa, somando um total de R$ 1,5 bilhão. Três delas, com um total de R$ 400 milhões, já foram liquidadas.

O plano de expansão da Credz está majoritariamente baseado nas parcerias com varejistas. Para isso, os investimentos são sendo canalizados para ações de marketing e inovações tecnológicas e financeiras.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast  no dia 20/07/22, às 13h30

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

 

Tudo o que sabemos sobre:

CredzZogbiVisa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.