Cresce exigência para presença de mulheres na disputa por cargos

Cresce exigência para presença de mulheres na disputa por cargos

Economia & Negócios

24 Maio 2018 | 04h00

Apesar da discrepância de gênero ainda existente no mundo corporativo, o reconhecimento ao potencial das mulheres melhora. Levantamento da Exec, consultoria especializada em altos executivos, aponta que mais de um terço (33%) de 600 empresas consultadas no Brasil exigem a presença feminina nas “shorts lists” como são chamadas as relações finais com três ou quatro candidatos que disputam a última etapa de um processo de contratação. Um ano antes, o peso era de apenas 22%.

Arriba y adelante. Das empresas consultadas, 78% não apontam restrição, mas também não têm preferência na contratação de mulheres para postos de liderança. Além disso, as executivas, conforme a Exec, responderam por 40% das contratações no primeiro trimestre deste ano ante 32% em 12 meses. Os dados serão apresentados hoje, dia 24, pelo sócio da Exec, Rodrigo Forte, no Conalife, evento da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional São Paulo (ABRH-SP) em parceria com a ONU Mulheres.

Siga a @colunadobroad no Twitter