Crise faz WeWork fechar duas das cinco unidades no Rio

Crise faz WeWork fechar duas das cinco unidades no Rio

Circe Bonatelli

15 de maio de 2020 | 04h20

O novo hábito do trabalho em casa e a necessidade de maior distanciamento entre as pessoas acertaram em cheio o mercado de escritórios compartilhados, chamados de coworking. A WeWork, uma das líderes globais no ramo, já avisou a seus clientes que vai fechar nos próximos meses duas unidades no Rio Janeiro. Uma delas fica na Avenida Pasteur, em Botafogo, e outra na Avenida Visconde de Pirajá, em Ipanema. Com isso, ficará apenas com os outros três endereços na cidade – Bossa Nova Mall, Helios Seelinger e Almirante Barroso.

Alivia aí. A chegada da crise fez a WeWork pedir descontos e adiamentos na cobrança de aluguéis nos prédios corporativos ao redor do mundo nos quais oferece espaços compartilhados, que costumam ser ocupados por startups, pequenas empresas e profissionais autônomos. Mas a pandemia diminuiu o movimento. No Brasil, a situação não é diferente e levou a empresa a fazer uma revisão no seu portfólio.

Com a palavra. No comunicado aos clientes, a WeWork informou que está “constantemente avaliando suas operações e ativos em nível global, incluindo revisões periódicas em relação à qualidade e condições dos prédios em que possui operação, de forma a prestar o melhor nível de serviço aos seus membros e otimizar o seu portfólio imobiliário”. Em resposta à Coluna, a WeWork acrescentou que essa decisão não compromete o negócio no Rio de Janeiro ou no Brasil, que continua sendo um mercado importante para a empresa.

Tudo o que sabemos sobre:

WeWork

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.