CSN diz trabalhar em IPO de mineração, mas ainda não contratou banco

CSN diz trabalhar em IPO de mineração, mas ainda não contratou banco

Fernanda Guimarães

31 de julho de 2020 | 05h02

Na foto, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Foto: MARCOS  ARCOVERDE/ESTADÃO

Em ordem de reduzir seu endividamento, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) disse que estava “trabalhando ativamente” para realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de sua unidade de mineração. É ali que estão reunidos a área de logística da empresa, além de sua fatia de 60% na Namisa e a mina Casa de Pedra. No entanto, até aqui, esse trabalho ainda não envolveu nenhum banco de investimento. Para o negócio andar, eles são contratados assim que a empresa decide começar a se estruturar para uma abertura de capital. Procurada, CSN não comentou.

Tá alta. A dívida líquida no fim de junho estava em R$ 33 bilhões. Para que a meta de reduzi-la em R$ 10 bilhões até o fim do ano que vem, seria necessário levar adiante a já tão falada venda de ativos.

Aquecido O próprio diretor executivo de Relações com Investidores da CSN, Marcelo Cunha Ribeiro, reconheceu que o mercado de capitais está receptivo para operações.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

CSNIPOmineração

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: