Davos teve, mais uma vez, presença pequena de brasileiros

Davos teve, mais uma vez, presença pequena de brasileiros

Coluna do Broadcast

22 de janeiro de 2017 | 05h00

An attendee leaves the Congress Hall during the World Economic Forum (WEF) annual meeting in Davos, Switzerland January 20, 2017. REUTERS/Ruben Sprich

(Foto: Ruben Sprich/Reuters)

O Fórum Econômico Mundial de Davos terminou na última sexta-feira (20) e, novamente, teve baixa presença de empresas brasileiras. Na edição deste ano, apenas nomes tradicionais como Bradesco e Itaú Unibanco, além de pesos pesados como Embraer, Ultra e a farmacêutica EMS estiveram no evento.

Apesar disso

Mesmo com o baixo quórum de empresas brasileiras no fórum de Davos, o interesse dos investidores estrangeiros no País está elevado. Não é por menos. No ano passado, lideraram o movimento de aquisições no Brasil, aproveitando a depreciação dos ativos em meio à crise. E a expectativa é de que esse movimento se estenda ao longo de 2017. Essa, ao menos, foi uma das missões do governo brasileiro em Davos e a meta das empresas: manter aquecido o apetite pelo Brasil.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.