De olho em IPO, CSN é 1ª da fila na temporada de balanços

De olho em IPO, CSN é 1ª da fila na temporada de balanços

Fernanda Guimarães

16 de outubro de 2020 | 05h30

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), de Benjamin Steinbruch, era a saideira da temporada de balanços por muitos trimestres. Isso mudou na divulgação que começa hoje. A CSN puxou na noite de ontem a fila das empresas que vão demonstrar seus resultados – e o movimento não passou despercebido.

Corra, Benja, corra. O motivo é óbvio: a empresa está com pressa para realizar a abertura de capital de sua unidade de mineração. O protocolo da oferta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) está agendado para hoje. Para isso precisa ter divulgado seu resultado trimestral, já que o mesmo estará na documentação a ser entregue ao regulador. O desejo é de que a oferta inicial movimente cerca de US$ 1,5 bilhão – ou de R$ 8,2 bilhões no câmbio de hoje.

Um pouco para cada. O plano, por enquanto, é dividir os recursos da seguinte maneira: R$ 7,1 bilhões serão captados em uma oferta secundária e iriam para o caixa da CSN, que busca reduzir seu alto endividamento. O restante viria via oferta primária, com os recursos sendo usados nas minas. A expectativa é de que a oferta ocorra ainda neste ano, no mais tardar em dezembro, dependendo das condições de mercado. Procurada, CSN não comentou.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 15/10/2020 às 16:29:07 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Benjamin SteinbruchCSNmineraçãoIPO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: