De olho no pós-pandemia, Citi conclui reforma de R$ 150 milhões em sede no País

De olho no pós-pandemia, Citi conclui reforma de R$ 150 milhões em sede no País

Aline Bronzati e Altamiro Silva Junior

24 de agosto de 2021 | 14h00

Com o prédio esvaziado devido à pandemia, obras foram aceleradas Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

O Citi concluiu a reforma milionária em sua tradicional sede no Brasil. Enquanto parte do setor financeiro migra para a região da Faria Lima, o banco americano preferiu modernizar o tradicional prédio na Avenida Paulista, em São Paulo, no qual está há 35 anos.

Foram R$ 150 milhões de investimento. Ao menos nisso, a pandemia ajudou. Com o prédio esvaziado por conta da covid-19, as obras foram aceleradas. Um dos desafios do projeto era justamente fazer a reforma com os funcionários trabalhando no prédio.

O prédio do Citi foi todo remodelado e adequado a questões de distanciamento social e à sustentabilidade. Também passou a contar com espaços compartilhados, além do reforço tecnológico.

Atualmente, o Citi tem apenas 4% do seu time no Brasil em trabalho presencial. Agora, planeja como ocupar novamente a “nova sede”. Em Wall Street, o retorno já teve início. Por aqui, a ideia é iniciar o processo entre o fim de setembro e o começo do quarto trimestre, e em etapas.

A vacina dará o tom, nas palavras do presidente do Citi, Marcelo Marangon. No primeiro momento, os funcionários em trabalho presencial irão de 4% para 7%, 8% e depois para 10%. Avançando mais uma fase, pode chegar nos 30% e assim por diante.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 23/08/21 às 11h58.

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Bancoscitipandemiatrabalho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.