Demanda por IPO do BMG supera 4 vezes a oferta

Demanda por IPO do BMG supera 4 vezes a oferta

Coluna do Broadcast

24 de outubro de 2019 | 04h00

A demanda pela oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do banco mineiro BMG, controlado pela família Pentagna Guimarães, superou em quatro vezes o volume de papéis oferecidos, contabilizando apenas os investidores institucionais, garantindo o sucesso da segunda tentativa do banco de abrir capital em menos de um ano. A procura maior ficou concentrada entre o piso e o centro da faixa indicativa de preço, estabelecida entre R$ 11,60 e R$ 13,40. Há no livro onde interessados apresentam suas ordens a presença de “três grandes investidores estrangeiros de qualidade”. Com isso, o fechamento do livro foi antecipado para ontem. A precificação da ação ocorrerá hoje, mesmo dia do fechamento da oferta da C&A. Procurado, o BMG não comentou.

Apetite. Algumas casas de análises independentes especializadas em pessoas físicas estavam receosas em relação ao IPO – inclusive recomendando distância dos papéis. Mesmo assim, o interesse foi alto entre esse público e a demanda foi de ao menos o dobro do limite de 20% da oferta. A Eleven Financial, na contramão, indicou compra e preço-alvo de R$ 19,00. A oferta marca a estreia da XP como coordenadora líder em um IPO. Também fazem parte do sindicato o Itaú BBA, Credit Suisse, Brasil Plural e BB Investimentos. Procurado, o BMG não comentou

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Banco BMGIPO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: