Depois de represamento, mercado tem tráfego de IPOs

Depois de represamento, mercado tem tráfego de IPOs

Fernanda Guimarães

20 de agosto de 2020 | 05h30

Depois de um represamento de ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) por conta da pandemia de covid-19, o fluxo de retomada está causando algo novo no mercado brasileiro, o que vem sendo chamado de “alto tráfego” entre os bancos de investimento. Já com pedidos de abertura de capital para os próximos meses, com a maioria olhando o bimestre de setembro e outubro, há nada menos do que três dezenas de candidatas. Com isso, os bancos estão calibrando as expectativas para que as empresas sejam lançadas ao mercado no momento certo, dado que os investidores estão seletivos, vide as ofertas das incorporadoras Riva 9 e You Inc que não tiveram demanda para emplacar os IPOs.

Chega mais. De qualquer forma, a fila não para de crescer: em menos de uma semana foram seis protocolos de abertura de capital feitos junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM): a empresa de logística Sequoia, a Elfa Medicamentos, mais uma incorporadora, a Ez In, a companhia de varejo Grupo Mateus, o Alphaville, e agora a holding de banda larga Triple Play. Juntas, a expectativa de captação supera os R$ 10 bilhões na B3.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.