Desinvestimentos do BB vão passar por crivo do Conselho de Administração

Coluna do Broadcast

19 de maio de 2019 | 04h00

Os desinvestimentos do Banco do Brasil devem ser enviados para a chancela do novo Conselho de Administração da instituição. O pedido para mais uma “benção” é de bom tom, na visão da alta cúpula, por conta da renovação do colegiado. Alguns dos novos membros, inclusive, ainda não assumiram. Dentre eles, está o presidente do Conselho de Administração do BB, o ex-Citi Helio Magalhães, que termina de cumprir quarentena por conta do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Alvos. Para boa parte dos ativos à venda, o BB já tem assessor financeiro. Dos contratados recentemente, o BB selecionou o norte-americano Citi para vender sua filial nos Estados Unidos, o BB Americas. Já para tocar a oferta de ações (Re-IPO) do argentino Patagônia, o banco ainda seleciona um assessor, já que o até então contratado Goldman Sachs informou ter conflito para tocar a operação. No caso do ressegurador IRB Brasil Re, por ora, o próprio braço de banco de investimento do BB está analisando uma eventual venda de ações.

Espelho. Para identificar um parceiro nas áreas de banco de investimento e gestão de recursos, por meio da BB DTVM, o banco escalou a Rothschild. A ideia é ter um modelo parecido aos das sociedades da BB Seguridade, que concentra os negócios de seguros do banco. Procurado, o BB não comentou.

Tudo o que sabemos sobre:

BB

Tendências: