Dólar amplia dificuldade para pagamento de bônus da Andrade Gutierrez

Dólar amplia dificuldade para pagamento de bônus da Andrade Gutierrez

Economia & Negócios

08 Junho 2018 | 04h00

A alta do dólar frente ao real aumenta as dificuldades nas negociações de um “empréstimo” para a Andrade Gutierrez pagar uma dívida de US$ 325 milhões, em bônus, vencida desde o dia 30 de abril. A operação teria como garantia as ações da CCR, com receitas em reais. O problema é que uma parte dos investidores consultados pela Pimco para participar da transação já estava desconfortável com tal garantia, dada a pequena participação da Andrade, de pouco mais de 14%, na empresa. Além disso, as ações da CCR têm se desvalorizado.

Sussa. Os investidores dos bônus da Andrade estão, entretanto, curiosamente tranquilos. Desde o começo da semana, quando existia expectativa de que um desfecho positivo para a transação poderia ser anunciado, os bônus melhoraram de preço no mercado secundário. No entanto, há uma grande dúvida entre operadores do papel no exterior sobre o que está por trás desse movimento já que a semana praticamente acabou e não há qualquer sinalização da companhia sobre o tema.

Siga a @colunadobroad no Twitter