Dona da pipoca Pipó terá sabores customizados para séries da Netflix

Dona da pipoca Pipó terá sabores customizados para séries da Netflix

Fernanda Guimarães

26 de outubro de 2021 | 05h30

Expectativa com parceria é elevar venda em 15% até o fim de 2022  Foto: Rafael Sartori/Divulgação

A Fabfoods, empresa de alimentos dona da marca de pipoca Pipó, acaba de fechar parceria com a Netflix. Com o acordo, que valerá por dois anos – e pode ser prorrogado – a Pipó fará pipocas especiais, de acordo com o conteúdo do Netflix. As séries “Casa de Papel” e “Sex Education”, por exemplo, ganharão produtos com sabores customizados. A “Sex Education”, por exemplo, terá o sabor lemmon pepper, para combinar com o humor ácido da série. Outras produções também terão pipocas para chamarem de suas.

A projeção é que com a parceria as vendas da marca tenham um salto adicional de 15% até o fim de 2022. O primeiro lançamento foi batizado de Original do pipoqueiro, a pipoca doce vermelha, casando com a cor da Netflix, que comemora com o produto seus 10 anos no Brasil – hoje um de seus principais mercados no mundo.

Essa não é a primeira parceria firmada pela Pipó com marcas conhecidas. Ano passado, lançou com a Nestlé uma série de sabores dos chocolates da marca. Com isso, as vendas aumentaram, e o ritmo de crescimento neste ano está na casa de 70%.

À frente da Fabfoods estão Fabiana Caporal e Adriana Lotaif, empreendedoras que uniram forças pouco antes da pandemia. Juntas, as duas comandam, desde o ano passado, uma espécie de série de dicas para empreender. A dupla já pensa em profissionalizar o “Empreender sem filtro”.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 25/10/21, às 13h29.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

alimentoscinemaNetflix

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.