Dotz negocia com gestoras âncoras para mudar estrutura de seu IPO

Dotz negocia com gestoras âncoras para mudar estrutura de seu IPO

Cynthia Decloedt

18 de maio de 2021 | 05h30

Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A Dotz, empresa de tecnologia de programa de fidelidade que permite acumular pontos para serem trocados por serviços e produtos, estuda alternativas para levar adiante sua captação, após decidir suspender sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na quinta. A solução está sendo negociada com as gestoras Ant Capital, Velt e Farallon, que ancoravam a oferta, e pode resultar na restrição a investidores qualificados.

Até aqui a oferta estava prevista para ser distribuída também ao varejo. A Dotz pretendia captar cerca de R$ 700 milhões e tinha quase a metade dos recursos garantidos pelos investidores âncoras. O gigante Softbank também estava entre os que manifestaram interesse em entrar na oferta.

Além da volatilidade externa e da tensão no mercado local, que já derrubou parte dos IPOs programados para as últimas semanas, comentários do mercado davam conta que a presença da Farallon, especializada na compra de ativos alternativos e de maior risco, intimidou a entrada de alguns investidores.

Gestora Farallon emprestou R$ 100 mi à Dotz

Em 2017, a Farallon fez um empréstimo à Dotz de mais de R$ 100 milhões, por meio de debêntures conversíveis em ações. O plano é liquidar essa dívida com os recursos do IPO. Além disso, a Farallon tem um bônus de subscrição de 5% de participação na Dotz, que será exercido antes da oferta de ações. A posição seria diluída no IPO, mas posteriormente recomposta, já que a gestora norte-americana havia se comprometido a ficar com R$ 50 milhões da oferta.

A Ant Capital adquiriu recentemente uma participação de 5% na Dotz. Mas ainda tem a opção de adquirir mais 10% das ações a 120% do preço do IPO ou a 75% da média de preço dos 30 dias anteriores do exercício da opção.

A Dotz anunciou que teve prejuízo de R$ 22 milhões no primeiro trimestre, com melhora de 19% em relação aos primeiros três meses de 2020, quando perdeu R$ 27,2 milhões. A empresa esperar gerar melhores resultados a partir do segundo trimestre. Procurada, a Dotz não comentou.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 17/05, às 10h33.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

dotzIPOSoftbank

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.