Ecorodovias estrutura linha com IFC e BID para Rodoanel

Coluna do Broadcast

10 Agosto 2018 | 04h00

A EcoRodovias, empresa de concessões, busca uma estrutura de Project Finance (financiamento de projeto) junto ao International Finance Corporation (IFC), braço de investimentos do Banco Mundial, e ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O desenho da operação envolve também emissão de debêntures de infraestrutura. Com os recursos, a EcoRodovias pretende refinanciar, a um prazo mais longo, o empréstimo tomado para o pagamento da outorga do trecho Norte do Rodoanel, em São Paulo.

Como o projeto demanda poucos investimentos, a maior parte do financiamento obtido no Project Finance será direcionada para alongar as R$ 900 milhões de debêntures de dois anos emitidas pela empresa para o pagamento da outorga. O contrato da concessão paulista garante proteção cambial a investidores estrangeiros, o que facilita a contratação de linhas em moeda externa.

Começando. As conversas com os bancos de fomento estrangeiros já acontecem, mas a montagem da estrutura ainda está em estágio preliminar, dado que a assinatura do contrato com o governo do Estado de São Paulo ainda não aconteceu.

A EcoRodovias, que arrematou o ativo paulista em janeiro, tinha expectativa de que o contrato fosse assinado até abril, mas o prazo foi adiado para 2019, por conta do atraso nas obras do trecho pelo governo estadual. A abertura de investigações pela Lava Jato, envolvendo suspeita de desvios no início das obras do Rodoanel, em 2013, também pode pesar negativamente nesse calendário.

Mais conteúdo sobre:

ecorodoviasbidifc